sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Drama ou Sinceridade

Se vais me tratar desse jeito, tem pena de mim e mata-me! Se gostas de mim, não deixes que eu continue sofrendo deste jeito!
Números 11:15 NTLH

O quanto somos sinceros com nossos sentimentos?
Cada um sabe bem a dor que sente.
Temos emoções, e há dias em que queremos mesmo morrer pois não vemos soluções.

Mas o que é a luz, sem a escuridão?

O que é o "nada" se não a paz, a ausência de tudo, de tudo que nos machuque ou incomode.

As vezes toda dor vem apenas do stress, das preocupações, ansiedades que temos simplesmente gerado por tudo que em algum momento decidimos ter!

Também descobri por que as pessoas se esforçam tanto para ter sucesso no seu trabalho: é porque elas querem ser mais do que os outros. Mas tudo é ilusão. É tudo como correr atrás do vento.
Eclesiastes 4:4 NTLH

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

A vida é curta

Tudo me atormenta nesta mísera vida.
Tento viver fazendo meu melhor a cada dia como se fosse o último.
Pois a cada dia sinto que não viverei muito.
Doenças, violências, tristezas.
Tudo isso tem me matado.
Primeiramente por dentro.
Mas minha casca, oca.
Não está mais como era antigamente.
Falta forças, e determinação para mudar.
Só Deus sabe o que tenho passado no íntimo do meu ser.
A pressão para conseguir manter-me no teatro da vida que construí.
As vezes dá vontade de dar um reset em tudo.
Mas já sou velho demais para reconstruir uma nova vida.
Ou me conformo como são as coisas.
Ou morro e deixo tudo como está.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Paranóia ou fobia

Mais uma noite de pesadelos.
Mas o que são pesadelos se não sonhos.
Talvez sonhos sejam nossos desejos mais profundos expressando da forma mais real como seria outra realidade.

Mais como viver se toda noite morro?
Passo a ter fobia de viver, de sair, de fazer qualquer coisa que me lembre de qualquer pesadelo.

Não quero crer em premonição.
Muito menos em profecia.
Nem em atração, ou probabilidade...

Medo, covardia, preguiça, e cançasso.
Mas em quanto estou vivo.
Preciso continuar caminhando.
Orando por proteção.
Para que seja tudo só stress e pesadelos.
Não posso ter fobia de viver.
O subconsciente está mais consciente, que eu mesmo.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

A Covardia Destroi

Não dizer nada, omitir, contar meias verdades, não enfrentar uma situação, por medo, é covardia.

A omissão e a negligência destroem tanto quando uma acção errada.

Não dar uma direção certa, não tentar, não dá em nada, não ensina, não aperfeiçoa, não gera experiência, a vida sempre nos leva a algum lugar, geralmente não é bom.

Eu queria mudar tudo!
Mudar o mundo!
Mas nem consigo mudar minha vida.
Não consigo influenciar minha família.
Ninguém me nota, sinto-me sobrando...
Sem respeito, sem valor, inútil.

O muro é de Satanás, já diz o ditado, assim ficar em cima do muro já é em si uma derrota.

Como ter coragem para decidir?
São tantas variáveis!
Toda decisão de alguma forma envolve outras pessoas.
Não quero ferir ninguém.
Mas, ao não decidir já estou ferindo.
Se eu falar, perco o pouco respeito e autoestima que ainda tenho.

Não sei falar.
Não sei orar.
Não sei me abrir.
Não sei chorar.
Não sei ser empático.
Não sei cultivar amizades.
Não sei ser marido.
Não sei ser pai.
Não sei ser líder.
Não sei ser cristão.
Não sei o que está acontecendo.
A covardia é demais para um homem.
Só sei trabalhar, acho.
Só sinto uma tristeza tão grande.
Um peso que está me sufocando.
Queria gritar, chorar, socar, pular...
Mas só consigo fugir para o esquecimento...
Tentar dormir, na única fé, de que amanhã tudo tenha passado.

Coragem é ter medo

Poucos admitem os medos.

É viver inseguro, não é viver feliz.
Quem respeita alguém inseguro?

O medo da morte, da perca do emprego, da falta de dinheiro, do fim do amor, da desesperança, da falta de fé, tudo gera um desespero angustiante.

No fundo muitas pessoas são cascas do que tentam ser, da aparecia que tenham formar.

O que sou de verdade?
No que eu realmente creio?
O que realmente amo?
Para que lado estou caminhando?
É de fato quem realmente se importa?

Sou eu mais alguém sobrando nesta existência?

Sou importante, ou só o que faço é importante?

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Amor é amar

Já pensou porque você ama?
O que você ama?
Quem você ama?

Seja um esporte, um time, uma área profissional, um estilo de música, um grupo, um filme, uma série, um tema, uma pessoa, um emprego, seu sonho, uma fé...

Todos amamos muitas coisas, situações, pessoas, valores...

Amamos pois o objeto do nosso amor de alguma forma nos faz bem, nos da sentido, traz utilidade, dignidade, prazer, preenche algum vazio, afasta algum medo, da alguma segurança, ou identidade...

Mas nem sempre recebemos de volta o amor que damos, afinal o time de futebol não sabe da sua mísera existência, somos muitas vezes apenas mais um número, uma unidade de um todo, um elemento de um grupo de fãs, de membros, uma peça descartável, um número entre milhões, é mesmo assim, continuamos amando, porque o amor é o ato de dar, não de receber, pois amar em si já nos preenche, independente da correspondência, do resultado do jogo, da continuidade da série, dos resultados do mercado, investimos no que amamos,  simplesmente por prazer, porque isso em si já nos faz bem, já nos dá o que queremos, que é algum sentido, por mais que não faça sentido para outros...

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

O Desconhecido assusta

O ser humano teme o desconhecido.
O que é conhecido até pode doer, ser desconfortável, mas no fim é aceito.
Pois não há como fugir da morte.
Não há como fugir da idade.
O tempo passa, e cada dia com saúde é um na vitória.
Para quem vai tudo acaba.
Mas a luta continua para quem fica.
A vida é mais fácil para quem tenta fazer sua sorte, para quem se prepara, para quem estuda, trabalha, planeja algo...
Quem nada quer, não pode reclamar de nada ter.
Quem não tenta não irá conseguir.
Sem luta não há vitória.